Vacina contra Covid: os países que lideram o ranking de imunização no mundo

06/01/2021
Fonte: BBC

Fonte: BBC

Até agora diversos governos e entidades se organizaram para divulgar números de casos, hospitalizações e mortes por Covid-19. No entanto, uma nova gama de dados começa a surgir: a de pessoas que já receberam algum tipo de vacina contra o coronavírus. Países como Israel, Reino Unido, Estados Unidos, Dinamarca, Rússia, Alemanha, Canadá, China, Itália e Bahrein largaram na frente na corrida para aprovar imunizantes e usá-los em suas populações. Esses países começaram a vacinar no final do ano passado.

No Brasil, a vacinação ainda não começou. Já existe um protocolo para aprovação emergencial de vacinas para Covid, mas autoridades de vigilância sanitária ainda estão analisando dados enviados por laboratórios sobre segurança e eficácia dos imunizantes nos testes. Enquanto isso, o governo já anunciou a importação de doses, assim como a produção em laboratórios locais.

 

Israel lidera com folga

Proporcionalmente, Israel lidera com folga nas imunizações da população. Mais de 1,3 milhão de pessoas já receberam vacina no país, que tem uma população de 9 milhões. A vacinação acontece poucos meses antes de uma eleição decisiva para o premiê Benjamin Netanyahu. Ele quer que Israel seja o primeiro país no mundo a vencer a pandemia, e chegou a dizer que isso seria possível já em fevereiro, com a vacinação em massa de sua população.

O país garantiu um contrato com a Pfizer logo no começo da pandemia, mas vem enfrentando desafios logísticos, já que o produto do laboratório exige armazenamento à temperatura de 70 graus negativos. Apesar de estar em fase adiantada de vacinação, Israel enfrenta novo surto da doença, e fechará todo seu sistema de educação a partir de domingo. O Bahrein aparece em segundo lugar na lista. O país árabe, no entanto, tem uma população de menos de 2 milhões de pessoas.

 

Reino Unido

O primeiro país com população mais expressiva, mais de 66 milhões de pessoas, a aparecer no ranking é o Reino Unido, que já aprovou duas vacinas (da Oxford-AstraZeneca e da Pfizer). Mais de um milhão de pessoas — todas no grupo prioritário de pessoas mais vulneráveis — já recebeu a primeira dose da vacina, que começou a ser administrada no início de dezembro. Algumas pessoas até já receberam a segunda e última dose.

Recentemente o governo britânico anunciou que vai atrasar a administração da segunda dose, para permitir que mais pessoas recebam a primeira. O intervalo entre as duas doses vai aumentar de três para 12 semanas. A exemplo de Israel, o Reino Unido também enfrenta um novo surto da pandemia e anunciou duras medidas de lockdown na segunda-feira (4).

 

Estados Unidos e Índia

Os EUA não conseguiram atingir a meta anunciada de 20 milhões de doses administradas até o fim de 2020 — foram 2,78 milhões de vacinados até 30 de dezembro. O infectologista Anthony Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergias e Doenças Infecciosas, disse não concordar com o plano britânico de atrasar a segunda dose da vacina. Segundo ele, os EUA não adotarão essa estratégia.

Fora do ranking, outro país anunciou recentemente um grande programa de vacinação contra o coronavírus. A Índia aprovou duas vacinas — uma de um laboratório local e outra da Oxford-AstraZeneca — e pretende imunizar 300 milhões de pessoas este ano. No entanto, o país é alvo de críticas por aprovar uma vacina que não teve seus testes de segurança e eficácia concluídos ainda.

 

União Europeia

Os países da União Europeia demoraram mais do que EUA e Reino Unido para aprovarem suas vacinas, já que a decisão passou por um órgão regulador do bloco. O Reino Unido aprovou sua primeira vacina três semanas antes da agência europeia. Um dos destaques negativos na corrida por vacinas é a França, que vacinou apenas cerca de 500 pessoas até agora. Em contraste, a Alemanha, país vizinho, já imunizou mais de 200 mil pessoas. Uma pesquisa da Ipsos Global Advisor sugere que os franceses são os mais relutantes na Europa em relação à vacina, com apenas 40% das pessoas dispostas a receberem a imunização — contra 80% na China, 77% no Reino Unido e 69% nos EUA.


› Compartilhe

  • Instagram

COLUNAS

 “No Humano um brilho sem igual”

“No Humano um brilho sem igual”

Coluna da Fé   07/01/2021

Qual número você calça?

Qual número você calça?

Opinião   22/12/2020

Como vencer a fadiga da pandemia

Como vencer a fadiga da pandemia

Coluna da Fé   22/12/2020

FOTOS DO DIA

Esperando o dono na porta do mercado, até porque sem máscara não pode entrar (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela