Exportações da indústria gaúcha caem 22,3% no primeiro semestre

08/07/2020
Fonte: FIERGS

Fonte: FIERGS

As exportações da indústria gaúcha atingiram US$ 4,8 bilhões no primeiro semestre de 2020, um recuo de 22,3% em relação ao mesmo período do ano passado. “A redução nas compras de nossos produtos por parte de parceiros comerciais importantes como Estados Unidos e Argentina começaram ainda no ano passado, mas se intensificaram com a pandemia. A recuperação está associada à retomada por parte desses países, como já começa a ocorrer com a China, que superado o impacto inicial da crise do coronavírus, aumentou as compras de produtos gaúchos”, afirma o presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (FIERGS), Gilberto Porcello Petry.
As vendas da indústria para China de janeiro a junho (recuo de 22,4%) sofreram com os resultados muito ruins do primeiro trimestre. Da mesma forma se comportam o comércio exterior com os EUA (-24,6%), enquanto a Argentina (-22,7%) acumula resultados negativos no segundo trimestre. Em junho, na comparação com o mesmo mês de 2019, as exportações da indústria do RS caíram em 21 dos 25 segmentos que registraram embarques para o exterior, totalizando US$ 837,1 milhões. Isso representa uma desaceleração das quedas em meio à crise do coronavírus, mas mantém uma retração de 12,3% em relação ao mesmo período, quando atingiram US$ 954,6 milhões.


SETORES
Dos principais setores, Veículos automotores (-59,9%) ainda é o que mais sofre, seguido de Couro e calçados (-37,7%) e Celulose e papel (-33,7%). Apesar dos resultados negativos, tais cifras desaceleraram, assim como Máquinas e equipamentos (-29,3%), Químicos (-27,4%) e Tabaco (+3,5%). Veículos automotores ainda é reflexo das menores produção e demanda por bens duráveis durante a crise, enquanto a desaceleração em Couro e calçados responde às baixas nas demandas da Argentina e EUA, que chegaram a cair 56,9% e 30,4%, respectivamente, e à maior demanda chinesa, aumento de 37,5% no mês. Já Celulose e papel teve um movimento contrário, com retração das compras da China de 66,1% e elevação dos pedidos dos EUA de 54,8%. Por sua vez, Tabaco apresentou sua primeira variação positiva no ano devido ao aumento dos embarques para Bélgica (29,5%) e Paraguai (85,9%).
A nona queda seguida das vendas externas na comparação mensal foi amenizada pelo setor de Alimentos, que cresceu 23,3%, sustentado pela demanda chinesa, que em junho subiu 169,3%. Os principais produtos exportados foram Carne de boi in natura (+329,2%) e Carne de suíno in natura (+60,7%).


IMPORTAÇÕES
Pelo lado das importações, o Estado adquiriu US$ 655 milhões em mercadorias, com queda de 18,6% ante junho do ano passado. No mês, todas as categorias econômicas sofreram nova queda, com exceção de Combustíveis e lubrificantes, que registrou elevação de 44,7%. No acumulado do ano, o RS importou US$ 3,3 bilhões, representando uma queda de 23,7% em relação ao mesmo período de 2019.


› Compartilhe

COLUNAS

Lições de vida

Lições de vida

Coluna da Fé   13/08/2020

Fé e Descrença

Fé e Descrença

Coluna da Fé   13/08/2020

Assumir a responsabilidade que compete

Assumir a responsabilidade que compete

Coluna da Fé   06/08/2020

FOTOS DO DIA

Lua cheia de graça (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela