Vendas no comércio gaúcho despencam 13,1% em abril

16/06/2020
Fonte: GaúchaZH

Fonte: GaúchaZH

As vendas do comércio varejista no Rio Grande do Sul despencaram 13,1% em abril, em relação ao mês anterior, aponta a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Influenciado pelos efeitos da pandemia de coronavírus na economia, o desempenho divulgado nesta terça-feira (16) foi pior registrado desde 2000, quando o levantamento começou a ser realizado.
O economista-chefe da Câmara de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL-POA), Oscar Frank, acredita que abril pode ter sido o “fundo do poço” para o comércio gaúcho. Isso porque naquele momento muitas lojas permaneceram fechadas, atendendo a decretos de prefeituras e do governo do Estado. Com a flexibilização de abertura a partir de maio, a tendência é de que o cenário seja diferente em novas atualizações da pesquisa.  
– A queda em abril é bastante significativa, ela materializa essa crise que vivemos desde meados de março. Com base nos dados das notas fiscais em maio, notamos um processo de “despiora”. A atividade econômica segue recuando, frente a 2019, mas em uma intensidade menor do que aquilo que vimos no início da pandemia – afirma Frank. 
No comércio varejista ampliado, que inclui os setores de veículos e materiais de construção, o tombo no Estado foi de 9,1% frente a março. Em abril, a maior queda foi verificada no ramo de livros, jornais, revistas e papelaria, com recuo de 85,5%. Na sequência aparecem tecidos, vestuário e calçados (-78,4%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-62,1%), veículos, motocicletas e peças (-62%) e móveis e eletrodomésticos (-39,2%). 
O único grupo a crescer entre os 10 analisados foi o de hipermercados e supermercados, com avanço de 4,8%.O presidente da Associação Gaúcha de Supermercados (AGAS), Antônio Cesa Longo, destaca que a páscoa e o aumento de campanhas para doação de alimentos a pessoas impactadas pela crise ajudam a explicar a elevação no período. Ainda assim, o dirigente constata que o ritmo de negócios vem desacelerando em relação ao período inicial da pandemia, quando muitos consumidores correram aos estabelecimentos para fazer estoque de itens. 
– Pelo caráter essencial da atividade, ela seguiu crescendo. Ainda assim, o perfil da compra mudou. As pessoas têm ido menos vezes ao supermercado, mas fazendo compras maiores – avalia.  
Em comparação com o mesmo mês de 2019, a retração no Rio Grande do Sul é ainda maior: 17,7% no comércio varejista e 27,7% no comércio varejista ampliado. No acumulado dos quatro primeiros meses de 2020, ambos os grupos têm resultados negativos, de 5,2% e 10,3%, respectivamente. 


Brasil tem queda de 16,8% em abril
No país, a queda no comércio varejista em abril chegou a 16,8% frente a março, o pior nível da série histórica. No comércio varejista ampliado, o volume de vendas retrocedeu 17,5% em abril, na comparação com o mês anterior. O único setor com expansão em nível nacional foi o de supermercados e hipermercados, com alta de 4,7%. Todos os demais ficaram no vermelho, puxados por tecidos, vestuário e calçados (-75,5%), outros artigos de uso pessoal e doméstico (-45,6%), móveis e eletrodomésticos (-35,8%) e combustíveis e lubrificantes (-25,3%).


› Compartilhe

COLUNAS

Assumir a responsabilidade que compete

Assumir a responsabilidade que compete

Coluna da Fé   06/08/2020

Devagar mas sempre

Devagar mas sempre

Coluna da Fé   06/08/2020

Condição irrecusável

Condição irrecusável

Coluna da Fé   04/08/2020

FOTOS DO DIA

Lua cheia de graça (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela