Vereadores cobram mais atenção a quem procura atendimento na saúde

21/07/2020
Oposição cita casos recentes ocorridos principalmente no Postão

Oposição cita casos recentes ocorridos principalmente no Postão

O debate na sessão desta segunda-feira (20), na Câmara de Vereadores de Dois Irmãos, se concentrou na área da saúde. Teve repercussão o caso do morador João Carlos Felício, de 43 anos, que faleceu na última quinta-feira (16) vítima de leptospirose. Conforme relato de familiares, ele buscou atendimento no Posto 24h pelo menos três vezes, quando foi medicado e mandado para casa. Em um dos atendimentos, foi levantada a suspeita de Covid-19, porém um exame particular, pago pelo próprio paciente, descartou a hipótese.
Paulino Renz (PDT) classificou como vergonhoso o que vem acontecendo no município. “Morreram duas pessoas na semana passada em Dois Irmãos. Pelo que eu soube, uma foi lá, consultou, e a médica disse que não tinha nada, podia ir embora. Chegou em casa, desmaiou. Mandaram para três hospitais, se não me engano, e veio a óbito. No caso do João, falei três vezes com o secretário da Saúde (Afonso Bastian), e agradeço a atenção dele, mas essa atenção a médica lá do Postão não teve com ele. Essas coisas são lamentáveis”, declarou. “Conheço o Postão de muitos anos, tenho grande respeito pelo pessoal que trabalha lá, mas tem várias pessoas que estão perdendo o respeito pelo povo”, acrescentou. 
O vereador do PDT cobrou mais atenção a quem procura atendimento na rede pública. “Falei com o Afonso para que fizesse uma reunião com os médicos, principalmente do Postão, e desse uma aula de como se atende um paciente que está doente. No mínimo, é com respeito, depois com um tratamento sério, e nós não estamos tendo isso. Não digo com todo pessoal do Postão, mas com a maioria”, disse Paulino. “Peço à prefeita Tânia e ao vice-prefeito Jerri que sejam mais responsáveis com as coisas que estão acontecendo no nosso município. Saiam de dentro da prefeitura e vão ver o que está acontecendo no nosso município. Tenho certeza que daqui a dois meses eles vão sair e ir de casa em casa pedir voto”, concluiu.


Seguindo o protocolo do Estado
Celina Christovão (MDB) disse que, no caso de João Carlos, foram feitos exames. “Mas nem todos os sintomas de leptospirose se apresentam logo. E são sintomas muitos semelhantes aos da Covid-19”, comentou a vereadora, que é enfermeira. Em relação à testagem da população, Celina destaca que é preciso seguir o protocolo do Estado. “A gente ouvir um elogio pelo que faz é raríssimo. Podem ser 999 atendimentos que a gente fez bem, mas se um a gente não fez, toda equipe entra junto como se não fizesse nada”, afirmou.
Sérgio Fink (PDT) disse que não concorda com o protocolo. “Acho que está errado. Se pegarmos o número de habitantes e o número de testes que foram feitos em Dois Irmãos, não chega a 5%, a 10%. É muito pouco! Parece que as pessoas precisam estar morrendo, prontas para serem entubadas, para começarem a ser medicadas”, observou o vereador. “Recurso não falta, o que precisa é gerenciamento. Precisam sair do gabinete: menos live e mais atenção para as coisas que acontecem de fato na nossa cidade. Aliás, isso é uma dificuldade muito grande do gestor público, que sempre tem em volta aquelas pessoas que querem agradar, que dependem do cargo, e não mostram a realidade do que está acontecendo na cidade, como se tudo estivesse um mar de rosas, mas não está”, completou.
O pedetista também fez críticas ao governador Eduardo Leite. “No Estado, se pintam as bandeiras como se fosse brincadeira de criança. O que o Estado fez para a saúde do município? Nada! O que veio de recurso até agora foi do governo federal, de deputados que se propuseram a ajudar nossa cidade e dos vereadores que foram atrás destes recursos. O Estado não fez absolutamente nada”, concluiu.


Críticas à Secretaria da Saúde
Para o presidente Joracir Filipin (PT), muitas questões deixam a desejar na área da saúde, inclusive no que diz respeito ao combate à Covid-19. “Solicitei na semana passada que sejam feitos mais testes na cidade. Espero que a prefeita atenda e faça o mais breve possível. Precisamos de dados mais concretos para poder tratar a nossa população. Temos relatos de pessoas que estão em casa há 10, 15 dias, e não foram testadas; o teste PCR é no 4º dia”, comentou. 
Ele criticou a postura da administração municipal na área da saúde. “O Jerri (Meneghetti) foi secretário e na metade do caminho abandonou o barco. A Anelise (Steffen) até fez um trabalho excelente, e agora o Afonso (Bastian) está ali. Nada contra a pessoa do Afonso, mas ele não entende de saúde. E nós temos que botar pessoas que entendam de saúde na secretaria”, argumentou. “Recurso não falta, mas às vezes acaba sendo mal gerenciado. Precisamos ter um olhar no todo. Nos postinhos nos bairros, as pessoas dizem que não tem consultas e não tem médicos”, comentou.
Paulinho Quadri (MDB) saiu em defesa de Afonso. “Discordo do senhor. O secretário faz um excelente trabalho, ele praticamente trabalha 24 horas pensando na saúde pública de Dois Irmãos. Parabenizo-o pelo esforço que vem fazendo”, disse. “Do jeito que está a questão da Covid-19, com médicos assustados, enfermeiros assustados, muitas vezes não corre tudo como eles querem”, concluiu o vereador.


(Foto: Divulgação / Câmara)


› Compartilhe

  • Instagram

COLUNAS

Senhor, ensina-me a orar

Senhor, ensina-me a orar

Coluna da Fé   23/10/2020

Misericórdia divina

Misericórdia divina

Coluna da Fé   23/10/2020

A dignidade da família

A dignidade da família

Coluna da Fé   21/10/2020

FOTOS DO DIA

A beleza do beija-flor captado em pleno voo pelo fotojornalista Octacílio Freitas Dias

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela