Vida de caminhoneiro: 700 quilômetros de estrada por dia

24/07/2020
Fábio Frohlich conta um pouco do seu dia a dia

Fábio Frohlich conta um pouco do seu dia a dia

Na estrada desde os 21 anos de idade, o caminhoneiro Fábio Frohlich, de 33 anos, é um dos apaixonados pela profissão. “A família do meu pai trabalhou a vida inteira com caminhão e desde pequeno tenho isso como uma paixão. Hoje viajo porque gosto; amo o que faço, mesmo longe da família”, diz ele, que segue, em especial, os passos do pai, Rudy Frohlich, de 63, que é caminhoneiro há mais de 35 anos.
Morador do bairro Travessão, Fábio é responsável por cargas de matéria prima para gelatinas e viaja para os estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo. “Hoje mesmo estou indo para Baixo Guandu, no Espírito Santo”, comentou, enquanto conversava por telefone com a redação do JDI. 
Percorrendo em média 700 quilômetros diários, Fábio passa quase 20 dias longe de casa. São 20 dias de uma rotina intensa, que começa geralmente às 6 horas da manhã e só termina lá no final da noite, já por volta das 23h. “Quando comecei a viajar, ficava até três meses fora de casa”, diz ele, afirmando que a saudada da esposa Daiane e do filho Kauan, de 2 anos e cinco meses, é um dos maiores desafios da profissão. “Os maiores desafios são sair de casa, ficar longe da família, sem ter dia e hora para voltar. Todo dia ligo e faço vídeochamadas para falar com minha esposa e meu filho. Hoje a tecnologia nos proporciona isso, diferente de anos atrás. Quando eu era mais novo, meu pai não tinha essa oportunidade para falar com nós”, destaca Fábio, comentando também sobre a insegurança nas estradas.
Apesar dos desafios, o caminhoneiro, que antes trabalhava em uma empresa do ramo calçadista, não se imagina atuando em outra área. “Não me vejo trabalhando em outro serviço. Quem gosta, dificilmente para de viajar, tanto que meu pai está há 35 anos viajando”, diz Fábio, destacando os bons rendimentos da profissão, que permitem proporcionar uma vida mais confortável à sua família. 


Sem Festa de São Cristóvão em 2020
Além de Dia do Colono, 25 de julho é Dia de São Cristóvão, padroeiro dos motoristas. Neste ano, em razão da pandemia do coronavírus, a Comunidade Católica do bairro Moinho Velho não realizará a tradicional Festa do Motorista. Também não haverá procissão e bênção dos veículos.


Fábio com a esposa Daiane e o filho Kauan


Rudy, Luis Miguel, que é da família e também é caminhoneiro, e Fábio​

 


› Compartilhe

  • Instagram

COLUNAS

Senhor, ensina-me a orar

Senhor, ensina-me a orar

Coluna da Fé   23/10/2020

Misericórdia divina

Misericórdia divina

Coluna da Fé   23/10/2020

A dignidade da família

A dignidade da família

Coluna da Fé   21/10/2020

FOTOS DO DIA

A beleza do beija-flor captado em pleno voo pelo fotojornalista Octacílio Freitas Dias

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela