Avenida São Miguel – A primeira e mais importante de Dois Irmãos

29/05/2019
Fotos ajudam a contar a história da cidade

Fotos ajudam a contar a história da cidade

Conhecida como a espinha dorsal de Dois Irmãos, a Av. São Miguel não só pode ser caracterizada como o centro de desenvolvimento econômico, cultivo as tradições sociais, políticas e religiosas; mas também como a presença que liga nosso passado com o presente. Basta a qualquer cidadão realizar uma pequena caminhada ao longo de seus 3 km para ter um gostinho do contraste entre as casas modernas e as moradas de nossos antepassados. 
De fato, nela nada é absoluto, tanto o passado como o presente estão em pleno equilíbrio. O primeiro permite que não esqueçamos nossas raízes e transmite a consciência de que nada surgiu sem grandes esforços e sacrifícios. O segundo nos transmite nossas responsabilidades em darmos continuidade ao desenvolvimento e prosperidade social.  
Dando continuidade ao Travessão Rübenich, a Avenida São Miguel foi aberta na vinda dos primeiros imigrantes alemães, durante a abertura de suas picadas. Além da clássica denominação de “Baumschneiss”, a rua era conhecida ainda no século passado como “Groos-Stross” (Linha Grande), em decorrência do seu longo percurso em linha reta de aproximadamente 3 quilômetros. Durante o século XIX e a primeira parte do século XX, a avenida foi desenvolvendo-se de forma bem gradativa, muitos comércios eram abertos e fechados e, com o passar dos anos, foi surgindo uma comunidade individualizada e organizada. 
Já na década de 30, quando a Intendência de São Leopoldo elevou Dois Irmãos à condição de Distrito (4º) a única rua que havia passou a chamar-se “São Miguel”, a pedido dos então conselheiros (vereadores) distritais, para assim homenagear o “Padroeiro São Miguel”.


Um pouco de história
Elli Paula Schneider, moradora há 90 anos na rua, conta um pouco de suas memórias da rua ainda antes da emancipação de Dois Irmãos. “Naquele tempo, as coisas eram difíceis. O dinheiro era escasso, a maioria de nós era agricultores e vendíamos nossos produtos para armazéns que os revendiam para outras cidades. Além disso, a Avenida São Miguel era uma estrada de barro, na qual havia atoleiros que poucas carroças conseguiam passar”, relembra. 
De fato, ainda nos anos 30, a São Miguel era conhecida pelos seus atoleiros que ficavam em frente a alguns comércios. Conta-se que esses atoleiros eram tão profundos que animais que neles atolavam algumas vezes eram abandonados e morriam ali mesmo pela incapacidade de serem removidos.

Leia a reportagem completa na edição impressa desta quarta-feira (29).



 


› Compartilhe

  • Anúncio Jornal

COLUNAS

E a dor de barriga?

E a dor de barriga?

Pitter Ellwanger   17/08/2019

Playlist #11

Playlist #11

Pitter Ellwanger   17/08/2019

FOTOS DO DIA

Balões coloridos para brincar com a imaginação (Octacílio Freitas Dias)

  • JDI assinatura
  • JDI classificados

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela