“Ser pai é dar ao filho o que ele necessita para encontrar o próprio caminho”

08/08/2021
Léo Büttenbender com o filho Bruno

Léo Büttenbender com o filho Bruno

Nesse Dia dos Pais, Léo Büttenbender concedeu uma entrevista ao Jornal Dois Irmãos sobre o processo de adoção de seu filho, Bruno Büttenbender, de 10 anos. Léo é ex-vereador na cidade e atualmente secretário municipal de Desenvolvimento Social e Habitação. Ele conta que o desejo de adotar uma criança veio após sua esposa, Eliana Hennemann Büttenbender, descobrir uma condição de saúde que dificultava ter filhos biológicos. Então, ambos decidiram entrar na fila para adoção com o apoio de familiares e amigos. Dessa forma, depois de todo o processo burocrático, eles pegaram nos braços o filho que tanto sonhavam, com apenas dois dias de vida.

 

Como foi o processo de adoção?

Léo – O processo de adoção nunca é fácil, nos deixa por vezes bem desestimulado. Em razão das questões legais, é muito burocrático, mas elas necessárias pela própria proteção das nossas crianças que procuram um lar, ou seja, que esperam um lar adotivo. O processo é longo, mas quando chega ao final é uma vitória. Quem acompanhou o processo de adoção foi a advogada Ângela e o advogado Miguel, da assessoria Ruwer.

 

Como foi a adaptação e a criação do Bruno?

Léo – Não tivemos um filho biológico, mas foi como se tivéssemos tido, pois o adotamos com apenas dois dias de vida. Os primeiros quatro meses foram intensos, enfrentamos cólicas, refluxos e tivemos que conseguir acertar na escolha do tipo de leite. O médico pediatra Dr. Jorge Pereira deu uma ajuda excelente, esteve sempre disponível para sanar nossas dúvidas e nos auxiliar. Na criação do nosso filho, desde o início, quando começou a falar, nós já contamos que é nosso filho do “coração”, e desde então foi normal, tanto que hoje para ele é simples essa compreensão. Conseguimos nos entender na tranquilidade e na verdade.

 

Qual foi a coisa mais relevante que teu filho te ensinou e qual foi a mais relevante que você ensinou a ele?

Léo – O que meu filho me ensinou são as coisas simples da vida, que não precisamos comprar brinquedos caros, mas valorizar o que há de mais simples; uma garrafinha de água como brinquedo preferido é tão importante quanto um brinquedo eletrônico. Em contrapartida, ensino a humildade e a honestidade da vida.

 

Para você, o que é ser pai e qual a importância de um pai presente na vida de uma criança?

Léo – Ser pai é dar ao filho o que ele necessita para encontrar o próprio caminho. É estar presente em todas etapas da vida. Ser pai é mais que palavras, é ter atitudes de intervir quando for necessário. Pai presente não desiste de seus filhos e faz o melhor por aqueles que ama. Ser pai é ter consciência de suas responsabilidades e do princípio de tudo, que é educar para a vida.

 

Gostaria de deixar uma mensagem para os pais?

Léo – Um Feliz Dia dos Pais a todos. Tenham carinho com os filhos. Pai e mãe, estejam presentes e ofereçam apoio incondicional, conforto e proteção aos seus filhos. Que Deus abençoe a todos nessa bela missão de ser pai.


 

Léo, Bruno e Eliana

 

(Reportagem de Giordanna Benkenstein Vallejos)


› Compartilhe

COLUNAS

Renovação de vida (2)

Renovação de vida (2)

Opinião   28/09/2021

Semana Nacional da VIDA

Semana Nacional da VIDA

Opinião   21/09/2021

FOTOS DO DIA

Decoração do Natal dos Anjos começa a ganhar as ruas de Dois Irmãos

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © 2021, Todos os direitos reservados Agência Vela