Rio Grande do Sul tem redução de 83,3% nos latrocínios em novembro

13/12/2021
Fonte: Secretaria da Segurança Pública

Fonte: Secretaria da Segurança Pública

Faltando poucos dias para o encerramento do terceiro ano com atuação do Programa RS Seguro, os indicadores de criminalidade no Rio Grande do Sul seguem renovando os recordes de redução. O número de latrocínios no Estado em novembro apresentou queda de 83,3% em relação ao mesmo mês de 2020, passando de seis casos para um em todo o período. Além de ser o menor total desde que teve início a contabilização desse delito, em 2002, a marca representa uma retração de 94,1% na comparação com o pico da série, em 2006, quando 17 pessoas perderam a vida em assaltos.

O único roubo com morte do mês ocorreu no último dia 23, no município de Sapiranga. Um homem que havia recebido uma quantia em dinheiro de um sindicato profissional foi encontrado caído em via pública, sem os valores e com sinais de agressões na cabeça. Ele chegou a ser socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) até o Hospital de Sapiranga e, depois, transferido para o Hospital de Pronto Socorro (HPS) de Canoas, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no dia seguinte.

O registro desse único caso em novembro também acentuou a retração dos latrocínios no cenário acumulado desde janeiro. Em 11 meses, o Estado soma 52 roubos com morte, 18,8% menos que os 64 ocorridos no mesmo período do ano passado. É também o menor total da série histórica e equivale à retração de 67,1% quando comparado com o pico de 158 mortes em assaltos, em 2016.

 

Homicídios recuam 4,1% em novembro no RS

O Rio Grande do Sul também teve menos mortes violentas pelo crime de homicídio em novembro, comparado com igual mês de 2020. A queda foi de 4,1%, passando de 122 para 117 vítimas – o menor total da série histórica desde 2006, segundo ano de contabilização. Em relação ao pico, de 257 assassinatos ocorridos em novembro de 2016, o total atual representa uma retração de 54,5% ou 140 mortes a menos.

A leitura é semelhante no acumulado de 11 meses. Na comparação de períodos entre 2020 e 2021, houve retração de 15%, passando de 1.672 vítimas de homicídio para 1.421 – o que significa a preservação de 251 vidas de um ano para o outro. A soma atual de óbitos de janeiro a novembro é também a menor desde 2006 e equivale à queda de 48,1% frente ao pico da série, com 2.737 assassinatos em 2017.

 

RS tem um feminicídio a mais em novembro comparado com 2020

Crime contra a vida que resiste a seguir a tendência dos demais indicadores, o feminícidio contabilizou em novembro uma vítima a mais que as seis registradas no mesmo mês em 2020 (16,7%). No resultado acumulado de janeiro a novembro, o número de feminicídios também registra alta, de 73 vítimas naquele período do ano passado para 90 neste ano (23%).

 

Roubo de veículos sobe 7,7% em novembro, mas segue o menor da história no acumulado

Em ponto fora da curva observada nos últimos quase três anos, o indicador de roubo de veículos encerrou novembro 7,7% acima do registrado no mesmo mês de 2020. Foram 406 ocorrências contra 377 do ano passado. Ainda assim, o total atual se mantém muito abaixo de qualquer outro já registrado para o mês na série histórica. Em comparação com o pico de 1.546 casos, no ano de 2015, a marca de novembro último representa retração de 73,7% ou 1.140 roubo de veículos a menos.

Apesar do resultado de novembro, o acumulado em 11 meses mantém a tendência de queda com novo recorde de redução. O número de roubos de veículos somados desde janeiro baixou 38,7%, de 7.398, no ano passado, para 4.534 neste ano – o menor total já registrado para o período desde que teve início a contabilização, em 2002.

 

Ocorrências de furto elevam estatística de ataques a banco em novembro

A ocorrência de quatro ações para arrombamento de caixas eletrônicos ou subtração de objetos do interior de agências e correspondentes bancários no Estado fez se elevar a estatística de ataques a banco no RS em novembro. Somado ao único roubo registrado no mês, os quatro furtos fizeram passar de um para cinco o total de casos, na comparação com 2020 (400%). O percentual elevado é resultado natural do cálculo matemático, uma vez que diferenças percentuais sempre são maiores quando obtidas a partir de números absolutos baixos.

 

Roubo a transporte coletivo e abigeatos caem ao menor total da série histórica

Os resultados de outros dois crimes patrimoniais simbolizam como a redução da criminalidade tem acontecido no Estado tanto na cidade quanto no campo. Seja na leitura isolada de novembro ou no cenário acumulado de 11 meses, a comparação com os mesmos períodos do ano passado mostra que os roubos a transporte coletivo, típicos do ambiente urbano, e os abigeatos, característicos do meio rural, estão no menor patamar desde que teve início a contagem desses tipos de crimes no Rio Grande do Sul.

No indicador que considera os delitos contra passageiros e motoristas de ônibus e lotações, o Estado teve 76 casos em novembro, quatro a menos que os 80 do mesmo mês em 2020 (-5%). Desde janeiro, houve 1.080 ocorrências, o que representa baixa de 15,3% contra as 1.275 do primeiro ao penúltimo mês do ano passado.

Entre os abigeatos, a leitura é semelhante. Em novembro, queda de 18%, com 351 casos contra 428 em 2020. No acumulado, retração de 0,9%, com a soma de ocorrências caindo de 4.843 para 4.799 na comparação de 11 meses deste ano e do anterior.


› Compartilhe

COLUNAS

Além do próprio umbigo

Além do próprio umbigo

Pitter Ellwanger   14/01/2022

Playlist #24

Playlist #24

Pitter Ellwanger   14/01/2022

Playlist #23

Playlist #23

Pitter Ellwanger   07/01/2022

FOTOS DO DIA

Na praia ou em qualquer lugar, a ordem é se exercitar (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

BOLETIM CORONAVÍRUS
17/01/2022SAÚDE
BOLETIM CORONAVÍRUS
Jornal Dois Irmãos © 2022, Todos os direitos reservados Agência Vela