Vacinação contra o coronavírus já evitou a morte de 43 mil idosos no Brasil, aponta estudo da UFPel

18/06/2021
Fonte: GZH

Fonte: GZH

O aumento da vacinação contra o coronavírus no país tem impacto direto na queda proporcional de mortes de idosos.  Segundo dados da pesquisa realizada pelo Centro de Pesquisas Epidemiológicas da Universidade Federal de Pelotas em parceria com a Universidade de Harvard, a imunização evitou a morte de 43.082 pessoas pela doença em 2021. Após analisar 235 mil óbitos no país, a mortalidade por covid-19 caiu de 28% para 16% no grupo de idosos de 70 a 79 anos, e de 28% para 12% no grupo acima de 80 anos.

Conforme dados da pesquisa, os níveis nacionais de cobertura com a primeira dose alcançaram metade dos idosos de 80 anos ou mais no início de fevereiro e superaram os 80% na quinzena seguinte, estabilizando-se em torno de 95% a partir de março. Em paralelo, o percentual de mortes de idosos caiu de 28% do total de óbitos por covid-19, em janeiro, para 12%, em maio, com início de queda acentuada a partir da segunda metade de fevereiro. A proporção de mortes nesse grupo por causas não relacionadas ao coronavírus permaneceu estável em quase 30% no mesmo período.

Para as pessoas de 70 a 79 anos, a cobertura vacinal com a primeira dose atingiu metade da população nessa faixa etária na última semana de março, alcançando 90% na primeira metade de maio. A proporção de mortes nesse grupo permaneceu em torno de 25% do total de óbitos pela doença até a segunda semana de abril. A partir daí, começou a diminuir, chegando a 16% na última semana de maio. Entre esses idosos, a proporção de mortes por outras causas permaneceu estável em pouco mais de 20% do total de mortes por causas não relacionadas à covid.

Segundo os cálculos, se o número de mortes entre os mais idosos houvesse seguido a mesma tendência observada para os brasileiros mais jovens, seriam esperadas 70.015 mortes de pessoas de 80 anos ou mais contra 37.401 registradas no período. Entre as pessoas de 70 a 79 anos, a expectativa de óbitos seria de 20.238 contra 13.838 registrados. Somando as estimativas para ambas as faixas etárias, foram evitadas as mortes de 43.082 idosos no país.

— Encontramos evidências de que, embora a disseminação da variante gama (P.1) tenha levado ao aumento das mortes por coronavírus em todas as idades, a proporção de óbitos entre os idosos começou a cair rapidamente a partir da segunda quinzena de fevereiro de 2021. Até então, essa proporção tinha se mantido estável em torno de 25% a 30% desde o início da epidemia, mas agora se encontra abaixo de 13%. Além disso, nossas análises de óbitos por outras causas mostram que o declínio proporcional entre os idosos é específico para as mortes por covid-19 — explica o epidemiologista e líder do estudo, Cesar Victora, da Universidade Federal de Pelotas.

A vacina CoronaVac representou 65,4% e a Oxford/AstraZeneca 29,8% de todas as doses administradas ao longo do mês de janeiro, enquanto as porcentagens foram de 36,5% para CoronaVac e 53,3% para Oxford/AstraZeneca no período entre meados de abril e metade de maio. Os imunizantes da Pfizer/BioNTech (Alemanha) e do Instituto Serum (Índia) responderam pelas doses restantes no período mais recente.


› Compartilhe

COLUNAS

Renovação de vida (2)

Renovação de vida (2)

Opinião   28/09/2021

Semana Nacional da VIDA

Semana Nacional da VIDA

Opinião   21/09/2021

FOTOS DO DIA

Um bom lugar para um ninho de passarinho (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © 2021, Todos os direitos reservados Agência Vela