“Em terra de alemão, a gente se deu bem, sempre nos respeitaram”, diz dona Lila

20/09/2021
Dona Lila com os filhos Vanusa, Núbia Helena e Paulo Ricardo

Dona Lila com os filhos Vanusa, Núbia Helena e Paulo Ricardo

Lila Lea da Silva é moradora do Vale Verde e tem 74 anos. Ela fala com um tom de voz doce sobre a sua história, com uma pilha de jornais impressos ao fundo, mostrando que gosta de estar sempre bem informada.

Lila conta que cresceu em uma colônia alemã em Venâncio Aires, onde conheceu seu marido, João Paulo Gomes da Silva, que aprendeu a falar o básico de alemão e a se identificar com a cultura desde muito cedo. O marido dela, falecido há 16 anos, tinha alguma fluência no idioma, mas poucos sabiam disso. Posteriormente, ela veio para Novo Hamburgo, cidade na qual residiu por 13 anos e onde tiveram seus três filhos. Depois disso, o marido conseguiu um emprego como jardineiro em Dois Irmãos e toda a família se mudou para cá. “Meu marido veio morar aqui primeiro, e antes de virmos para cá também, ele comentou que seríamos a segunda ou terceira família de negros na cidade”, recorda dona Lila.

Apesar do contraste, Lila explica que aqui a família encontrou prosperidade. João era jardineiro e sempre tinha trabalho, assim como ela, que era empregada doméstica e teve boas oportunidades. “Tanto eu como meu esposo e meus filhos tivemos empregos bons, com patrões bons, e fomos bem acolhidos, apesar de ouvir e saber que a nossa raça era minoria na época”, comenta.

 

Respeito é fundamental

Para ela, o respeito é uma peça-chave em qualquer tipo de convivência. E Lila explica que sempre ensinou os filhos a respeitarem as pessoas para também serem respeitados e mostrarem o potencial deles. “Em terra de alemão, a gente se deu bem, sempre nos respeitaram”, diz. Como mãe, ela teve a preocupação de garantir que os três filhos tivessem mais estudo do que ela teve, já que não pôde seguir na escola porque teve que trabalhar desde muito cedo.

Sobre a cidade, Lila comenta: “Eu adoro morar em Dois Irmãos. Agora eu já estou há muitos anos aqui e em qualquer lugar que eu vá sou bem quista e toda a minha família também, graças a Deus”. Além disso, uma das festas conhecidas de Dois Irmãos é o Kerb de São Miguel. Lila diz que não perdia um Kerb quando era mais jovem e que gostava de arrumar os filhos para a celebração.

Em relação à qualidade de vida na cidade, a família destaca a competência do atendimento na saúde pública, que foi necessário quando o marido dela ficou doente. “Talvez, se fosse em outra cidade e se não fosse por toda a assistência que nosso pai teve, ele não tivesse ficado conosco por tanto tempo após o acidente de bicicleta ocorrido em 1995”, conta a filha Núbia Helena Gomes da Silva. Mesmo a família não sendo natural da cidade, eles fazem parte da história dela e têm grande carinho pelo município. “Aqui é uma cidade muito boa de se viver e tu podes andar de cabeça erguida por onde for”, conclui dona Lila, entre sorrisos.


Lila e o marido, João Paulo, quando novos


› Compartilhe

COLUNAS

Renovação de vida (2)

Renovação de vida (2)

Opinião   28/09/2021

Semana Nacional da VIDA

Semana Nacional da VIDA

Opinião   21/09/2021

FOTOS DO DIA

Decoração do Natal dos Anjos começa a ganhar as ruas de Dois Irmãos

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © 2021, Todos os direitos reservados Agência Vela