Eclipse total da “Lua de Sangue” ocorre no próximo dia 26

21/05/2021
Fonte: GZH

Fonte: GZH

O primeiro eclipse lunar de 2021 ocorrerá no final da madrugada de 26 de maio. E será durante a Super Lua, quando a lua cheia está próxima ao perigeu (ponto orbital mais próximo da Terra), também popularmente chamada de “Lua de Sangue”, porque o satélite fica completamente na sombra da Terra e adquire uma cor avermelhada.

No território brasileiro, o fenômeno poderá ser visto apenas em parte, uma vez que ocorrerá próximo do amanhecer. Segundo o astrônomo Luiz Augusto L. da Silva, integrante da Rede Omega Centauri para o Aprimoramento da Educação Científica, o eclipse se inicia às 5h48min (horário de Brasília) com a entrada da Lua na penumbra, uma região de obscurecimento parcial que margeia a sombra que a Terra projeta no espaço.

— Essa etapa é visualmente imperceptível, porque tudo que começa a acontecer é uma diminuição muito pequena da intensidade do brilho lunar. Em Porto Alegre e na Região Metropolitana, a Lua estará a apenas 15 graus de altura sobre a linha do horizonte Oeste-Sudoeste — esclarece Silva.

A entrada na sombra terrestre se verificará às 6h45min, já com o clarear do dia bastante avançado. Em Porto Alegre, neste horário, a lua estará a tão somente quatro graus de altura, na direção do Lago Guaíba. A observação do eclipse será interrompida às 7h9min, no mesmo instante em que nasce o Sol. As demais fases do eclipse, portanto, não poderão ser acompanhadas no Rio Grande do Sul. O início da totalidade será às 8h11min (com a Lua 12 graus abaixo do horizonte), o meio do eclipse às 8h19min (-13o), e o fim da totalidade às 8h26min (-15o). A saída da sombra se dará às 9h52min (-28o), e o último contato com a penumbra às 10h50min (-34o), detalha o astrônomo.

 

Curta duração

De acordo com Silva, neste eclipse chama a atenção a curta duração da fase total, isto é, o período em que todo o disco lunar fica dentro da sombra (ou umbra) terrestre: serão somente 15 minutos. Nos eclipses totais mais longos, a fase pode durar quase duas horas, como ocorreu, por exemplo, durante o eclipse lunar de 6 de julho de 1982.

Nessa data, o fenômeno durou 106 minutos. A Lua estava na máxima distância da Terra (conhecida como apogeu, cerca de 405 mil quilômetros) e, além disso, cruzou o centro da sombra terrestre. No eclipse do próximo dia 26, além de estar na menor distância (perigeu, dia 25, às 22h49min, com afastamento de 357.311 quilômetros), ela cruzará muito longe do centro da sombra, com o limbo lunar praticamente tangenciando internamente a borda da umbra.

 

Próximo em novembro

Depois do fenômeno deste mês, o próximo eclipse lunar ao alcance dos gaúchos acontecerá em 19 de novembro. Ele será um eclipse parcial, porém profundo, com até 97,4% de encobrimento do raio lunar pela sombra da Terra. O último eclipse lunar visível no Rio Grande do Sul foi em 30 de novembro do ano passado. Mas a lua não chegou a entrar na sombra terrestre, limitando-se a transitar pela região de penumbra, caracterizando um fenômeno praticamente imperceptível. O último eclipse parcial até agora por aqui aconteceu em 16 de julho de 2019, e o último total, em 20 de janeiro de 2019.


› Compartilhe

COLUNAS

Renovação de vida (2)

Renovação de vida (2)

Opinião   28/09/2021

Semana Nacional da VIDA

Semana Nacional da VIDA

Opinião   21/09/2021

FOTOS DO DIA

Um bom lugar para um ninho de passarinho (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © 2021, Todos os direitos reservados Agência Vela