Hospital Sapiranga realiza primeira captação de órgãos de 2022

26/01/2022
Fonte: Assessoria de imprensa

Fonte: Assessoria de imprensa

O Hospital Sapiranga realizou na última semana a primeira captação de órgãos de 2022. A instituição possui uma comissão intra-hospitalar formada por uma equipe multiprofissional, que tem a finalidade de organizar rotinas e protocolos que possibilitam o processo de doação de órgãos e tecidos para transplantes, chamada de CIHDOTT. Esta comissão é a responsável por todo o processo de identificação de um potencial doador, e pelo acolhimento das famílias diante de uma decisão difícil, mas de grande de importância e esperança para muitas pessoas que aguardam por uma doação para seguirem suas vidas.

A enfermeira coordenadora da CIHDOTT do hospital, Camila Crippa, evidencia a importância do engajamento da comissão e da especialização da equipe, para o reconhecimento de um potencial doador e sobre a conduta junto as famílias. Em nome da comissão Camila agradeceu as equipes. “Agradecemos a todos os profissionais que de forma direta e indireta viveram esse momento, acolhendo uma família frente a dor da perda resultando no aceite diante de um momento tão difícil, e proporcionando continuidade da vida para outras pessoas”, disse.

Nesta primeira captação do ano foram doados o fígado e os rins. O hospital há muitos anos vem se dedicando a esta importante causa, nos últimos três meses de 2021, três pacientes foram atendidos na emergência do hospital e transferidos rapidamente para hospitais de referência para manejo do quadro clínico, os quais evoluíram para morte encefálica, e com o consentimento da família a doação foi autorizada.

Diante da imensa relevância desta ação, o principal ato para ser um doador de órgãos e tecidos é a declaração deste desejo para a família. No Brasil, não é necessário deixar nada por escrito, basta avisar sua família, dizendo: “Quero ser doador de órgãos”. A doação só acontece após a autorização familiar. Quando a pessoa não declara este desejo, a família pode ficar em dúvida, por isso é muito importante que toda pessoa que tem esse desejo, declare-o para seus familiares.

 

Para ser doador

A identificação de um potencial doador de órgãos e tecidos pode ocorrer após a constatação de morte encefálica, que é a interrupção irreversível das funções cerebrais, no qual o doador é capaz de salvar a vida de até oito pessoas, ou melhorar a qualidade de vida de mais de 20. Ou pode ocorrer mesmo em vida através da doação de alguns órgãos como o rim, parte do fígado e da medula óssea. No Brasil, existem quase 33 mil pessoas aguardando por uma doação segundo estatística da organização Pró Rim.


› Compartilhe

COLUNAS

Eu: em construção

Eu: em construção

Escritores locais   18/05/2022

FOTOS DO DIA

Sentinela – De olhar atento a todos os movimentos (Foto: Octacílio Freitas Dias)

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © 2022, Todos os direitos reservados Agência Vela