Pandemia de Covid-19 tem recorde de novos casos em uma semana no Vale do Sinos

11/12/2020
Fonte: Feevale

Fonte: Feevale

O mestrado em Virologia da Universidade Feevale divulgou, nesta sexta-feira, 11, um novo levantamento sobre a pandemia de Covid-19 no Vale do Rio dos Sinos. Embora a taxa de ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) dos hospitais da região tenha regredido para 100%, percentual ainda extremamente preocupante, o número de novos casos confirmados em uma semana é o maior desde o início da pandemia: 2.745. Para a pesquisa, foram considerados os dados disponibilizados pelo Conselho Regional de Desenvolvimento (Corede) do Vale do Rio dos Sinos (Consinos) e pelo Governo do Estado do Rio Grande do Sul, por meio do portal https://covid.saude.rs.gov.br.

Os dados demonstram que, desde o início de novembro, a pandemia está em franca ascensão, com crescimento exponencial e pior do que no auge do inverno. O número máximo de casos atingidos em uma semana havia sido em julho, com 1.942 novos casos de Covid-19; porém, desde o dia 20 de novembro, as contagens ultrapassam os 2 mil a cada semana, chegando ao recorde de 2.745 nesta sexta-feira. Em números absolutos, a região do Vale do Sinos acumula um total de 34.749 casos confirmados e 725 óbitos, com 36 nesta semana.

 Conforme o professor do mestrado em Virologia da Feevale, Fernando Spilki, os números demonstram que os casos novos continuam em evolução. “A ocupação nas UTIs baixou para 100% como reflexo na abertura de novos leitos”, explica. Já para a coordenadora do mestrado em Virologia da Universidade Feevale, Juliane Fleck, os indicadores evidenciam que o vírus permanece em atividade e que ainda não aprendemos a “conviver com ele”. “Não há dúvidas de que as condutas precisam ser revistas, em prol do coletivo”, afirma.

 

Confira a evolução da pandemia no Vale do Sinos no link: https://feev.as/b787e2c.

 

*

Projeção do mestrado em Virologia indica superlotação no Natal e Ano Novo

O mestrado em Virologia da Feevale também realizou uma projeção do número de casos de Covid-19 e das internações em decorrência da doença no Vale do Sinos para as próximas semanas a partir dos dados atuais. O estudo, sob coordenação do professor Spilki e com apoio do epidemiologista Eduardo de Freitas Costa, projeta três cenários: um pessimista, um otimista e um médio. Em um cenário mais pessimista, a ocupação nas UTIs na região estaria em 129% no Natal, por exemplo, enquanto o número de casos novos chegaria a 4.479 naquela semana.  Na primeira semana de janeiro, estes números saltariam para 134% e 5.132, respectivamente, se não forem tomadas medidas adicionais para conter o avanço da pandemia.

 A simulação foi realizada a partir de dados da pandemia na região até esta sexta-feira, 11 de dezembro, com o acréscimo dos novos leitos na rede de saúde. Para o cálculo, foram usados modelos de séries temporais para a predição semanal da porcentagem de ocupação em UTI (modelo de suavização exponencial), do número de casos e do número de internações (regressão com erros Arima - uma sigla do inglês: Auto-regressive integrated moving average, ou em portugês, Modelo autorregressivo de médias móveis).


› Compartilhe

  • Instagram

COLUNAS

 “No Humano um brilho sem igual”

“No Humano um brilho sem igual”

Coluna da Fé   07/01/2021

Qual número você calça?

Qual número você calça?

Opinião   22/12/2020

Como vencer a fadiga da pandemia

Como vencer a fadiga da pandemia

Coluna da Fé   22/12/2020

FOTOS DO DIA

Esperando o dono na porta do mercado, até porque sem máscara não pode entrar (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela