Número de brasileiros em Portugal cresce 43% em 2019 e bate recorde

17/01/2020
Fonte: Folhapress

Fonte: Folhapress

O número de brasileiros morando em Portugal aumentou 43% em um ano, passando de 105.423 em 2018 para 150.854 em 2019. Agora, os brasileiros representam um em cada quatro imigrantes em território português. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (16) pelo Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) ao jornal português Público. O resultado representa o terceiro aumento consecutivo da comunidade brasileira em Portugal, após um período de queda entre 2011 e 2016.
Embora os números sejam expressivos, eles ainda são menores do que a quantidade real de brasileiros vivendo em terras lusas. Não entram para as estatísticas oficiais os brasileiros que tenham dupla cidadania de Portugal ou de outro país da União Europeia e imigrantes em situação irregular. No ano passado, as autoridades portuguesas emitiram um total de 48.627 novos títulos de residência para brasileiros. Em 2018, foram 28.210 desses documentos. Assim, os brasileiros representaram mais de um terço de todas as novas autorizações para viver em Portugal concedidas. Presidente da Casa do Brasil, ONG que presta assistência aos imigrantes brasileiros em Portugal, Cyntia de Paula destaca que o aumento expressivo de cidadãos do Brasil não é um fenômeno novo, mas que demora a ser refletido de maneira adequada nas estatísticas devido à morosidade de muitos dos processos de regularização.
O ranking das nacionalidades vivendo em Portugal é composto ainda, em números bem mais modestos do que os do Brasil, por Cabo Verde (37.393), Reino Unido (34.340), Romênia (31.056) e Ucrânia (29.671). Com uma população envelhecida e um dos índices de natalidade mais baixos da Europa, Portugal, desde 2017, tem tomado algumas medidas para facilitar a regularização de imigrantes. Não por acaso, 2019 também representa um recorde do número total de estrangeiros vivendo no país: cerca de 580 mil pessoas. Em 2018, eram 480 mil estrangeiros. Os perfis atraídos a Portugal agora também são variados: há desde imigrantes menos qualificados para trabalhar na agricultura, especialmente na região do Alentejo, até estudantes, famílias com crianças e também muitos aposentados.
Em discussão atualmente no Parlamento, o orçamento português para 2020 propõe ainda mais ações para aumentar a atratividade de Portugal para pessoas de outras nacionalidades. “Há que reconfigurar a forma como os serviços públicos lidam com o fenômeno da imigração, adotando uma abordagem mais humanista e menos burocrática, em consonância com o objetivo de atração regular e ordenada de mão de obra para o desempenho de funções em diferentes setores de atividade”, diz o documento. Uma das principais propostas é a criação de um visto especial para imigrantes que estejam à procura de emprego. O mecanismo é uma antiga reivindicação de associações de migrantes e tem o objetivo de criar uma "porta de entrada" legal para os estrangeiros.
Atualmente, o caminho mais comum para brasileiros que não tenham visto de trabalho ou estudo é a via irregular. Normalmente, esses migrantes entram no país como turistas e começam a trabalhar de forma irregular, apelando depois a um longo e burocrático processo de regularização, que inclui o pagamento de uma multa pela permanência sem documentação adequada em território luso.


› Compartilhe

  • Instagram

COLUNAS

O tempo: O consolo da vida

O tempo: O consolo da vida

Alan Caldas   03/07/2020

Revisão de valores

Revisão de valores

Coluna da Fé   03/07/2020

Costela na pressão

Costela na pressão

Gastronomia   01/07/2020

FOTOS DO DIA

Acho que eu vi um passarinho... (Foto: Octacílio Freitas Dias)

  • Assinatura digital

O Jornal Dois Irmãos foi fundado em 1983. Sua missão é interligar as pessoas da cidade, levando-lhes informações verdadeiras sobre todos os setores da sociedade local, regional, estadual e nacional.

SAIBA MAIS

SIGA-NOS!

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Jornal Dois Irmãos © , Todos os direitos reservados Agência Vela